14.1 C
São Paulo
13 de julho de 2024

Como as plataformas de segurança ajudam a gerenciar a proteção de aplicativos

Chris Roeckl (*) 

Entender o que de fato importa para uma gestão eficiente de programas de segurança é um dos desafios que o profissional da área de tecnologia e cibersegurança e as empresas enfrentam na atualidade. Frente a uma ampla gama de ameaças, utilizar diversas ferramentas desconexas, sem integração e comunicação entre si, não se adequa ao cenário complexo para rápida prevenção, detecção e resposta.

Um recente relatório da Netscout enfatiza o fato de que o Brasil é o principal alvo de ciberataques na América Latina há quase uma década. Além disso, o país sofreu um aumento de 19% no número de tentativas de ataques cibernéticos no segundo semestre de 2022, em relação ao primeiro.

Ainda assim, de acordo com o Gartner, até 2026, 80% das empresas esperam simplificar suas ferramentas de segurança para aplicativos nativos de nuvem. O dado mostra que as empresas pretendem reduzir em média 70% a menos no número de ferramentas usadas para esse fim.

Para assegurar a proteção contra ameaças em aplicativos, é altamente recomendado adotar uma estratégia em camadas, que envolva a integração de várias ferramentas e práticas de segurança. Desta forma, não é necessário utilizar diversas ferramentas complexas e separadas. Ao utilizar uma abordagem completa e integrada como o uso de plataformas de cibersegurança, é possível reduzir riscos e garantir a segurança efetiva dos aplicativos.

A necessidade de ferramentas que oferecem um substancial ganho de maturidade de segurança a longo prazo contribui para o crescimento desta demanda por plataformas integradas. Sistemas que permitem que os profissionais de TI estabeleçam uma estratégia abrangente de segurança, identificando e neutralizando ameaças antes que causem danos significativos.

Para oferecer praticidade e garantir mais segurança aos dados e informações às empresas, as plataformas de cibersegurança desempenham um papel crucial na detecção e resposta a incidentes, permitindo que as organizações ajam rapidamente para conter e remediar qualquer violação de segurança em todos os vetores: nuvem, endpoint, servidores, e-mail, rede, dispositivos móveis, web e IOT.

Além de proteger contra ameaças conhecidas, as plataformas de cibersegurança também são essenciais na identificação de ameaças emergentes. Com a capacidade de analisar padrões de tráfego e comportamento de sistemas, elas podem detectar atividades suspeitas que escapariam à detecção humana, fator fundamental frente à constante evolução das ameaças. Investir em soluções de cibersegurança robustas é uma medida prudente e necessária na era da informação.

Um exemplo disso é ThreatScope Mobile XDR do one-stop shop para defesa de aplicativos móveis, Appdome. A ferramenta se enquadra dentro do contexto de uma plataforma de detecção e resposta a ameaças estendida, capaz de coletar milhares de sinais de ameaças dentro de aplicativos móveis implantados e traduzir esses dados em visões relevantes para a marca.

Entre os benefícios de trabalhar com uma plataforma de cibersegurança, o fator financeiro é outro ponto importante a ser considerado. O investimento na ferramenta pode ser o grande alicerce para evitar prejuízos financeiros reais e estrondosos causados por invasões e vazamentos de dados ou até pela interrupção forçada dos serviços da organização. Além disso, estar preparado para os riscos é um fator demonstrativo de profissionalismo perante o mercado, o que pode refletir em uma confiança maior na imagem da empresa por parte de clientes, colaboradores e parceiros.

(*) Diretor de produtos da Appdome.