13 C
São Paulo
29 de maio de 2024

Cinco maneiras como a Inteligência Artificial está revolucionando a logística

Guilherme Juliani, CEO de um dos maiores grupos logísticos do Brasil explica como a tecnologia mudou o ritmo do setor

A jornada de uma encomenda do centro de distribuição até a casa dos consumidores é mais longa do que apenas o trajeto em rua. Há muitas etapas envolvidas na logística das empresas e e-commerces — e há uma demanda cada vez maior por agilidade e velocidade, o que só é possível atender com investimento em tecnologia. Mais precisamente, em inteligência artificial.

É o que explica Guilherme Juliani, CEO do Grupo MOVE3, referência nacional em logística. “Ferramentas que se baseiam em IA e machine learning oferecem uma chance de aprimorar os processos da nossa área de maneira nunca vista antes. Desde o momento em que o pedido é feito pelo cliente até a rota de entrega passa por melhorias. E o mercado vai seguir pedindo por isso. É só perceber como as pessoas esperam rastreio em tempo real hoje em dia, quando isso não era possível anos atrás”, aponta.

Segundo uma pesquisa da Associação Brasileira dos Operadores de Logística (ABOL), 86% dos operadores logísticos estão aumentando os investimentos em tecnologia e automação. Particularmente no caso de Data Analytics com uso de Machine Learning e inteligência artificial, são 76% buscando investir mais ou começar a implementar.

Para exemplificar como o mercado está amadurecendo com essas novidades, Juliani indica as principais maneiras em que a IA está fazendo a diferença na logística:

Roteirização inteligente

Os algoritmos de IA conectados ao GPS conseguem calcular os melhores trajetos para motoristas tomarem em tempo real, considerando condições de tráfego, meteorológicas e outras variáveis, agilizando a entrega ao consumidor. Sistemas próprios para a área também conseguem identificar diversos outros detalhes impactados por determinadas rotas, como custos de manutenção e gasolina, o que pode se transformar em economia para toda a frota.

“A roteirização inteligente barateia a entrega e ainda ajuda a aumentar a satisfação dos clientes. Também é um ótimo método de acompanhamento do trabalho dos entregadores, inclusive facilitando o suporte rápido quando surgem ocorrências”, pontua Guilherme.

Previsão de demanda

Ao alimentar a IA com dados históricos de vendas e estoque, é possível estabelecer matematicamente uma previsão assertiva da demanda em todos os períodos do ano. Qual produto mais vendeu nas últimas cinco Black Fridays? O que fica parado durante meses, mas sai no Natal? Inúmeras perguntas podem ser respondidas com uma ferramenta desse tipo.

Assim, a empresa consegue se preparar, minimizar os riscos de falta de produtos importantes e aproveitar melhor as oportunidades. Além disso, com as informações precisas sobre o estoque, é possível reduzir perdas e ajustar rapidamente os fluxos de produtos conforme as demandas em tempo real.

Gestão de CD dinâmico

O banco de dados das IAs também ajuda no dia a dia do centro de distribuição (CD), especialmente se combinado com dispositivos inteligentes, como esteiras e robôs. É o caso do Grupo MOVE3. “Nos últimos anos, estamos investindo pesadamente em automação nos CDs, com máquinas que conseguem separar milhares de objetos ou envelopes a cada hora. Temos 220 veículos guiados automatizados, chamados de AGVs, esteiras inteligentes, e desde 2023 estamos construindo um complexo que vai permitir a movimentação de até 34 mil objetos por hora”, explica Juliani.

É assim que mercadorias de diferentes tamanhos, destinos e prazos conseguem passar por um processo ágil de roteirização: a tecnologia já começa a trabalhar as prioridades e decisões estratégicas desde o centro de distribuição.

Detecção de falhas

Erros acontecem, mas, na logística, podem custar bem caro. Todos concordam que quanto menos falhas, melhor. Portanto, não é de surpreender que a IA seja usada para prevenir problemas, novamente com base em dados históricos, mas também com detecção de alterações nos processos assim que eles ocorrem.

“Imagine que alguém trocou uma encomenda de lugar em algum ponto, e a revisão manual não detectou o erro. A IA vai identificar uma etiqueta errada, uma informação alterada, imediatamente”, ilustra Guilherme.

Otimização de layout do armazém

Existem maneiras de deixar tudo mais rápido, desde o empacotamento das encomendas até o carregamento dos entregadores. Uma mudança pequena aqui, outra ali, e horas podem ser economizadas — bem como todos os custos inerentes à operação.

Essa maximização de eficiência pode incluir uma mudança de ordem de processos, ou levar determinados produtos para outro corredor, ou mudar o tipo de prateleira utilizada. São várias possibilidades, mesmo dentro de uma operação que já está rodando bem.

A tecnologia, afinal, busca sempre o aprimoramento, e o ideal é que isso aconteça em todas as etapas e de todas as maneiras possíveis. “Nosso foco está também na integração de todas as ferramentas que utilizamos, para que cada encomenda possa fluir pelas etapas corretamente. Individualmente, cada robô e cada software fazem trabalhos incríveis, mas é a IA que permite a conexão e a transformação de tudo isso em excelência de mercado”, conclui Juliani.