Você está aqui: HomeFornecedor de TINotícias do Fornecedor
ESTUDO ENCOMENDADO PELA SOFTEX AVALIA O IMPACTO DA CRISE ECONÔMICA NA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE SERVIÇOS DE TI O Brasil poderá desempenhar um importante papel no fornecimento de serviços de TI tanto para os Estados Unidos como para a Europa ao final do atual cenário de crise vivido pela economia mundial. Essa é uma das conclusões do estudo “The Impact of the Global Economic Downturn on Outsourcing and Offshoring”, encomendado pela SOFTEX (www.softex.br) junto ao instituto norte-americano Everest Institute (www.everestresearchinstitute.com), sediado em Dallas. O levantamento das informações foi realizado entre os meses de dezembro de 2008 e janeiro de 2009. De acordo com o estudo, mais do que ocupar o lugar da Índia, o Brasil deve se tornar uma alternativa para a diversificação de riscos, competindo com países do Leste Europeu e com a China. A pesquisa alerta que o Brasil, mais do que competir diretamente com a Índia, precisa prioritariamente demonstrar como pode se integrar à atual estrutura global de entrega de serviços de TI, lembrando que o país tem um contingente de mão-de-obra qualificado para competir com os principais fornecedores mundiais. Apesar dessa vantagem, os centros de TI brasileiros são menores do que os de outros países, com um potencial inexplorado de crescimento. “A realização do estudo reflete nossa preocupação com o impacto da desaceleração econômica mundial na indústria brasileira de software e serviços. Estamos certos de que ele auxiliará nossas empresas no processo de reavaliação de suas estratégias neste difícil cenário econômico global, no qual é fundamental a rápida identificação de novas oportunidades”, comenta Djalma Petit, diretor de mercado da SOFTEX. A íntegra do “The Impact of the Global Economic Downturn on Outsourcing and Offshoring” está disponível para consulta no endereço: http://www.softex.br/portal/_publicacoes/publicacao.asp?id=2463
Contando com mais de 8 anos de atuação no mercado de gestão de processos através de projetos, consultorias e ações pontuais de capacitação em clientes no Brasil e exterior, a iProcess inicia o ano com a criação de uma unidade de treinamentos focados em BPM (Business Process Management), com agenda que prevê eventos já para o primeiro semestre de 2009. "Há muito tempo atendemos demandas específicas de nossos clientes para treinamentos em BPM/SOA. A criação desta unidade permitirá expandir nossa atuação nesta frente, contribuindo de forma decisiva para a disseminação destes conceitos", explica Vinícius Amaral, Diretor de Tecnologia da iProcess. A nova área realizará seminários e treinamentos com o objetivo de disseminar conhecimento e difundir a cultura da gestão por processos nas organizações. Todos os eventos possuem programa diferenciado, com foco nas tecnologias envolvidas no ciclo de BPM/Workflow e correlacionadas. Os eventos são conduzidos por profissionais certificados e com grande experiência obtida através dos bem sucedidos projetos realizados pela empresa. Dentre os cursos oferecidos estão os treinamentos "Mapeamento de Processos Utilizando BPMN 1.2", com uma abordagem focada na notação da OMG e independente de ferramenta, e "Modelagem de Sistemas Orientados a Processos e Serviços", que capacitará gestores, analistas e desenvolvedores de sistemas na integração da visão de processos à análise de requisitos para o desenvolvimento de sofware mais alinhado às expectativas da área de negócio. Também fazem parte do calendário novas edições dos Seminários iProcess - três dias com eventos sobre BPM e SOA nas cidades de Brasília, São Paulo e Porto Alegre. Para mais informações: http://www.iprocess.com.br/treinamentos treinamentos@iprocess.com.br
A nota fiscal eletrônica já é uma realidade irreversível no Brasil e em muitos casos as empresas estão tendo que integrar seus processos de negócios a sistemas legados para facilitar e garantir total funcionamento da transação das informações para a Receita Federal. Para facilitar este trabalho das empresas, a Magic Software Brasil liberou uma atualização dos conectores do iBOLT Integration Suíte, que inclui o suporte a multi empresas e multi certificados. Para facilitar este processo e garantir às empresas o acesso a esta tecnologia, a Magic anuncia seu programa de seleção e certificação de novos parceiros para a Nota Fiscal Eletrônica. A meta é trabalhar com empresas de TI que possuam em sua carteira de projetos a integração da nota fiscal eletrônica com os principais sistemas de gestão empresarial, entre eles SAP, Oracle, JD Edwards, CIGAM, Datasul e Microsiga entre outros. Um exemplo de sucesso na utilização do iBOLT em projetos de integração para a nota fiscal eletrônica pode ser visto através da parceria com a ABC71, tradicional fornecedor de ERP do mercado, que já implantou a solução em 10 clientes e tem previsão de ampliar de forma significativa essa base em 2009. Segundo Rodney Repullo, diretor-geral da Magic Software Brasil, com esse template atualizado, os parceiros poderão utilizar o IBOLT para superar as complexidades de comunicação com a Receita Federal, existentes nos projetos de integração com os sistemas de gestão. O iBOLT reduz drasticamente o tempo de implementação do projeto em até 80%, segundo estimativa da Magic. Ainda de acordo com Repullo, muitos fornecedores de ERP ainda não possuem solução acabada de NFe e podem encontrar nessa parceria com a Magic uma forma rápida e com custos adequados ao mercado de pequenas e médias empresas.
A Sispro, empresa de software e serviços de TI, visando atender às empresas que ainda não possuem solução para geração do SPED, oferece ao mercado nacional uma solução baseada em software como serviço (SaaS) a partir do seu Datacenter, englobando as aplicações para SPED Fiscal e Contábil e um conjunto de serviços de consultoria adequado às necessidades das empresas, independente do seu porte e do ramo de atividade. No SaaS Sispro SPED uma equipe de consultores da Sispro indicará à empresa que informações deverão ser extraídos de seu ERP (software de gestão) para a importação na solução Saas Sispro SPED. Serão, ainda, realizadas a geração e a validação dos arquivos que deverão ser assinados e enviados pelo cliente para a Receita Federal através do PVA (Programa Validador e Assinador da Receita Federal). Como benefícios do SaaS Sispro SPED, a empresa destaca a redução de investimento em software e hardware, em treinamento de equipe e, sobretudo, agilização da geração dos arquivos para envio à Receita Federal do Brasil, reduzindo o tempo em até 60%. “Temos notado que muitas empresas estão enfrentando dificuldades em coletar e processar as informações fiscais e gerar os documentos necessários para a entrega à Receita Federal”, comenta Lourival Vieira, diretor da Sispro. “Muitas aplicações de gestão empresarial ainda não estão prontas para atender a esta demanda das empresas e, como o lançamento deste nosso serviço, pretendemos auxiliar neste processo que, se não concluído de forma rápida e eficiente, poderá causar vários problemas de âmbito legal e fiscal para as empresas”, acrescenta o executivo.
A Magic Software liberou os números de seu balanço global de 2008, com um crescimento de 6% em relação ano 2007 de U$58.4 milhões para U$62,0 milhões. O mercado brasileiro foi um dos que melhores resultados apresentaram, chegando a um crescimento de 45% com relação a 2007, quando o crescimento significativo foi de 54%. No Brasil, a empresa estima que poderá superar a casa dos 50% de crescimento devido à forte retomada dos negócios já registrada no início do ano: 15 projetos novos projetos de integração estão em andamento e a empresa já anuncia que irá trabalhar com 4 novas revendas diretas a partir de Março e Abril. “Isto acontece em um momento de aperto financeiro e de investimentos nas empresas, o que as levam a priorizar a otimização dos seus processos de negócios, a busca por diminuição de custos e o aumento da produtividade, comenta Rodney Repullo, diretor-executivo da Magic Software Brasil. De acordo com Rodney Repullo, a movimentação das empresas rumo à integração de processos de negócios (SOA e BPM) e a demanda de aplicações ricas baseadas na Web (Rich Internet Applications) e SaaS (software como Serviço) fazem com que as projeções para 2009 sejam altamente otimistas. “Mesmo tendo registrado uma desaceleração no final do ano de 2008, os resultados ainda sim foram superiores ao projetado. Estamos falando de um crescimento de 45%!”, ressalta o executivo.

Login