Você está aqui: HomeFornecedor de TINotícias do FornecedorAtualidadesFujitsu terá Laboratório de Open-RAN em Sorocaba, São Paulo

Fujitsu terá Laboratório de Open-RAN em Sorocaba, São Paulo

Publicado em Atualidades
03 Outubro 2023

Iniciativa é em parceria com grandes empresas do setor de telecomunicações e foi apresentada no Futurecom. Rede 5G Privada levará mais conectividade para as escolas

A Fujitsu está montando um centro de soluções para telecomunicações Open-RAN (Open Radio Access Networks) na cidade de Sorocaba (SP) em parceria com a Ciena, Dell, FIT, IBM, Intel, Mavenir, Okemo, Ookla, Palo Alto Networks, Red Hat, SIAE Microelettronica, UP2Tech e VIAVI Solutions, com a finalidade de oferecer melhorias significativas de conectividade que irão catalisar o desenvolvimento sustentável não só da Educação, mas da sociedade como um todo. "Esta flexibilidade tecnológica das Redes Abertas abrirá espaço para transformarmos toda a infraestrutura existente em hubs de multisserviços habilitados a fim de executar uma ampla variedade de cargas de trabalho”, afirma Jun Ueda, CEO da Fujitsu do Brasil.

 

Esta segmentação dos componentes de hardware e software permite executar todas as funções da RAN em containers, rodando em hardware agnóstico e em cenários que incluem nuvem privada, híbrida e pública. Os componentes que compõem esta RAN, nomeadamente a Unidade Central (O-CU), Unidade Distribuída (O-DU) e a Unidade de Rádio (O-RU), operam sobre plataforma de hardware modular (servidores e switches) de uso geral.

Elas são baseadas nas arquiteturas de computação padronizadas no mercado e desenvolvidas para resistir ao calor, a poeira, ao choque e a vibração em condições ambientais extremas. As Redes Privadas Open-RAN oferecem a máxima qualidade de serviço com o mínimo de consumo energético e geração de resíduos, focalizando na necessidade de sustentabilidade exigida nos tempos atuais.

“Acreditamos que o modelo OpenRAN é o ideal ao mercado brasileiro de 5G, especialmente para Redes Privadas. É um movimento que busca democratizar as redes de telecomunicações – contribuindo para eliminação da dependência em equipamentos específicos de telecomunicações. Ou seja: incentiva a concorrência no mercado de conectividade”, avalia Alex Takaoka, head of Customer Engagement da Fujitsu do Brasil.

A abertura da RAN permite um ecossistema diversificado com fornecedores de software nativo em cloud, servidores COTS, rádios compatíveis com OpenRAN split 7.2, cloud (pública ou privada) e serviços em uma mesma rede móvel de um mesmo operador. Por sua vez, esse ecossistema permitirá que a inovação prospere. A padronização visa economias de escala globais em cadeias de suprimentos de fornecedores em todo o mundo. Juntas, padronização e abertura, prometem reduzir custos e acelerar a inovação para 5G.

Rede 5G Privada: mais conectividade nas escolas

O consórcio de empresas está comprometido em ativar uma rede 5G privada de padrão aberto em uma escola pública de Sorocaba. Nos próximos meses, serão oferecidas infraestruturas de conectividade sem fio de alto desempenho e com baixo consumo de energia que permita uma abordagem modernizada de educação dentro das salas de aula. Adicionalmente irá promover atividades de letramento digital aos professores em relação as tecnologias digitais emergentes.

A rede 5G privada em padrão aberto é a porta de entrada para uma Educação 4.0. Ela auxilia na capacitação do setor educacional a cria uma experiência de aprendizagem personalizada e colaborativa a alunos e professores. Uma melhor conectividade permite, por exemplo, didáticas imersivas por meio de experiências com realidade aumentada/virtual/mista (AR/VR/MR). Estes conteúdos em sala de aula em alta definição demandam recursos de conectividade. Com uma rede 4G convencional, essa atividade levaria mais uma hora, porém com a nova rede 5G é algo que pode acontecer em segundos.

Entre para postar comentários