Você está aqui: HomeFornecedor de TINotícias do FornecedorAtualidadesMeu Futuro Digital une organizações para duplicar o número de profissionais de TI nos próximos 8 anos

Meu Futuro Digital une organizações para duplicar o número de profissionais de TI nos próximos 8 anos

Publicado em Atualidades
01 Outubro 2020

A associação sem fins lucrativos quer estimular o conhecimento, capacitação e a geração de oportunidades no setor, que conta elevado déficit de mão de obra

Com crescimento acelerado nos últimos anos em virtude da transformação digital, o setor da Tecnologia da Informação lida hoje com a falta de pessoal qualificado. Pensando neste desafio, um grupo de empresários, empreendedores sociais, educadores e startups criou o Meu Futuro Digital, um ecossistema digital com o propósito de transformar o Brasil em um país do futuro trabalho e da educação, por meio da Tecnologia da Informação.

O objetivo da associação sem fins lucrativos, fundada em fevereiro de 2020, é duplicar a mão de obra qualificada em TI, passando de 1,5 para 3 milhões de profissionais durante 8 anos, crescimento que, estima-se, levaria também à duplicação do PIB de serviços de TI brasileiro, chegando a R$ 500 bilhões, no mesmo período. O projeto foi fundado por Marco Santos, Rubem Daniel Duek, Aloysio Neto e Renato Pereira e também conta com os profissionais no time Core: Carla Duprat (Terceiro Setor), Fernando Graton (Recursos Humanos) e Carlos Mattos (Consultor Tecnologia).

"O Meu Futuro Digital nasce para ampliar a capacitação e a empregabilidade de jovens e adultos no setor de tecnologia e ainda criar soluções para o crescimento de mão de obra qualificada em tecnologia da informação, ciências, engenharia, matemática (STEM, na sigla em inglês) no país", afirma Marco Santos, fundador do Meu Futuro Digital. Segundo o relatório Education at Glance da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), apenas 17% dos graduados brasileiros são dos cursos da área de STEM - a média em nações desenvolvidas é de 24%.

"Hoje, muitos jovens se formam em empregos que não existirão daqui a alguns anos. Outros, nem chegam a entrar no mercado de trabalho, logo que há uma elevada taxa de desemprego entre os jovens na faixa-etária de 18 a 24 anos. Precisamos investir para um futuro mais digno e democrático. Quantos talentos ficam às margens da sociedade ou subempregos por falta de investimento e capacitação? Precisamos reverter esta situação o quanto antes. Este é o nosso papel enquanto sociedade", complementa o executivo.

Como funciona o ecossistema digital

Jovens, profissionais que buscam por recolocação profissional ou que estão em transição de carreira têm acesso à plataforma, que já está disponível na versão mobile e desktop, em que encontram oportunidades para o mercado de TI, informações sobre programas, cursos, além de mentoria para orientá-los para as carreiras do futuro, conectando talentos com empresas líderes do segmento de tecnologia. A ideia é trabalhar em rede, a partir da colaboração entre diversos setores que auxiliem na formação de mão de obra qualificada.

"Buscamos ser um Smart Hub para conectar os jovens às iniciativas existentes, levando-os da conscientização sobre as oportunidades ao emprego digital, apoiados por programas de capacitação, mentoria e colocação em empresas parceiras. A digitalização da sociedade está caminhando a passos largos, e as pessoas e empresas estão cada vez mais engajadas em processos digitais, facilitando o contato e a comunicação de nossos propósitos e objetivos", explica Rubem Duek, Cofundador do Meu Futuro Digital.

Empresas parceiras

Atualmente, o ecossistema Meu Futuro Digital conta com mais de 60 organizações entre empresas, ONGs, entidades governamentais e apoiadores. As frentes de trabalho estão divididas entre: Educação Tecnológica, com objetivo de capacitar jovens e desenvolver programas de capacitação em TI; Jovens vulneráveis, com atuação em comunidades e a inclusão de cursos de tecnologia em 7500 favelas; Elas em Ação, para promover a inclusão de mulheres nas carreiras de tecnologia; e o Jovem Aprendiz, por meio da integração entre a (Associação Brasileira de Recursos Humanos) em coordenação com Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

As empresas e outras organizações poderão se cadastrar na plataforma e saber mais sobre o projeto no site http://www.meufuturodigital.org/.

Entre para postar comentários