Você está aqui: HomeFornecedor de TICase de SucessoEneva contrata InternetSAT para garantir conectividade nos poços de exploração de gás no Maranhão

Eneva contrata InternetSAT para garantir conectividade nos poços de exploração de gás no Maranhão

Além da velocidade e estabilidade com o novo satélite, banda KA, a operadora projetou uma solução de unidade móvel de conectividade, reduzindo de 3 dias para 2 horas o tempo de ativação da infraestrutura de conectividade nas operações de exploração de gás da Eneva.

A Eneva, uma companhia brasileira integrada de energia, com negócios complementares de exploração e produção de gás e geração de energia, contratou a InternetSAT para melhorar a conectividade via satélite de suas operações de sonda nos poços do interior do Maranhão a partir de novas unidades móveis de conectividade (UMC), visando garantir o acesso em alta disponibilidade para toda a operação da sonda terrestre (onshore).

A operação enfrentava muitas dificuldades durante a instalação e movimentação das sondas, desde a estrutura física, link de Internet insuficiente, localização de difícil acesso, entre outros desafios. Segundo Daniel Vaz, Head de TI da Eneva, a operação envolve serviços especializados de geologia (coleta e análise de dados sísmicos no subsolo para entender as oportunidades de gás) e de engenharia para funcionar, o que demanda uma infraestrutura robusta e resiliente de TI. "A conectividade via satélite faz parte deste conjunto de requisitos para a comunicação entre os poços de exploração, o centro de operação no Rio de Janeiro e os familiares de toda equipe, uma vez que, com o trabalho remoto, todos ficam praticamente isolados nestas regiões", conta ele.

Um dos maiores problemas apontados por Vaz era o deslocamento da sonda de perfuração para várias regiões da bacia de Parnaíba, no Maranhão "Existiam alguns problemas no processo de DTM (Desmontagem, Transporte e Montagem) da sonda, que impactavam no bom andamento da operação, tais como: links de comunicação insuficientes, instáveis e de alto custo, equipamentos eram desmontados e acomodados em locais inapropriados para serem montados novamente nos novos locais de operação, cabeamentos eram refeitos em todas as DTMs e isso tudo causava insatisfação dos usuários, equipe de TI sobrecarregada e tempo de montagem muito elevado" "Então, pensamos em uma nova solução para prover a conectividade necessária para as operações, encapsulando toda a infra de conectividade em um container e que pudesse ser movimentado mais facilmente. Em uma conversa com colegas de um grupo de CIOs nos foi indicada a InternetSAT, que aceitou o desafio e apresentou um projeto que atendeu às nossas iniciais expectativas", revelou o executivo.

Além de oferecer uma conectividade melhor, com mais velocidade e estabilidade, - com uma antena menor - segundo Vaz, a InternetSAT projetou um container e criou uma UMC (Unidade Móvel de Conectividade) mais ajustada às nossas expectativas, e que pudesse ser mais facilmente transportada. "Ao final, com a instalação da UMC no projeto com a InternetSAT, os problemas foram resolvidos e o processo de DTM, que antes demorava de dois a três dias, hoje acontece em poucas horas. Além disso, com o novo satélite da InternetSAT, o problema de link foi solucionado. Mais que isso, a própria redundância necessária é garantida também pela operadora", afirma ele.

Quais outros os benefícios da UMC?

De acordo com Daniel Vaz, não há mais a necessidade do compartilhamento do container da operação para armazenamento da infraestrutura, e os equipamentos não precisam ser desmontados do rack para serem transportados e montados novamente na nova localidade. A fixação e alinhamento da antena com o satélite ficaram mais rápidos e simples. A UMC é energizada por gerador e conta com a contingência dos painéis solares para manter as baterias carregadas. "Além disso, temos maior estabilidade da conexão com nova tecnologia de satélite e maior velocidade", releva ele. "Muito importante", destaca ele: "as equipes não precisam ficar de plantão para contingências que aconteciam antes e, agora, os ganhos são realmente elevados. Estamos tratando este projeto como sendo a versão 1.0. Novas melhorias já estão sendo projetadas a partir do aprendizado com esta experiência para a criação da segunda unidade já encomenda", afirma.