Você está aqui: HomeEquipe IT PortalPing-PongBuscando compreender a relação do elemento humano

Buscando compreender a relação do elemento humano



Seu objetivo é entender como as pessoas fazem uso das novas formas de interação proporcionada pelas TICs.  “Com uma  melhor compreensão desses fatores, é esperado um aumento da vantagem competitiva dessas organizações”, afirma ele, “focando seus estudos com o objetivo de uma  melhor compreensão dessas questões e gestão das TICs & Governança Corporativa”.

Nosso PingPong com o professor segue esta linha. Desejamos saber como é seu trabalho em pesquisas e como ele vê a TI no Brasil. Como gestor do projeto GESITI (Gestão dos Sistemas e Tecnologias da Informação), acreditamos que ele possa nos dar uma visão sobre como o Brasil caminha nesta área.

IT Portal - Qual a sua formação acadêmica?

Antonio José Balloni  - Sou Bacharel em Física (1981) com toda a academia desenvolvida na área com Pós Doutorado em Microeletrônica/Processos no Interuniversity Microelectronic Centrum/IMEC/Bélgica (1993). Atualmente dedico-me ao estudo sobre o impacto da gestão dos sistemas e tecnologias da informação em organizações públicas e privadas, bem como instituições acadêmicas e hospitais. Esse estudo está associado às questões de governança.

IT Portal - Há quanto tempo exerce o trabalho de pesquisas e como vê este tipo de trabalho no Brasil na área?

Antonio José Balloni - Atuo em pesquisa desde quando finalizei minha graduação em 1981. Possuo experiência inter e plurisdiciplinar em física e em sistemas sociotécnicos com visão para governança, o que é muito importante como formação eclética, ou seja, tenho cultivado o melhor dos vários sistemas em que tenho procurado me desenvolver. Vejo este perfil como muito importante, pois dá a visão e insights para atuar em front line que exigem a melhor tomada de decisão em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D&I). Por exemplo, são os eventos GESITIs, inter e plurisdisciplinar, que promovem o encontro entre pesquisadores, educadores, empresários e gerentes de vários segmentos, tais como Gestão, Sistemas e Tecnologias de Informação, entre outras, objetivando a troca de experiências. Isto tudo exige um enfoque integrado de capacitação, pesquisa e aplicações, resultando na própria atualização profissional dos participantes. Além da atualização profissional e contatos dos participantes e comunidade interessada, o evento tem, devido sua pluralidade, potencial para se tornar um foco gerador de “spin off”. Idem para o projeto GESITI/Hospitalar. Ou ainda, como acabou de acontecer, tenho um projeto aprovado pela FAPESP que envolve, entre outras atividades, a participação em Congresso Internacional apresentando o trabalho “Governança, Sistemas Sociotécnicos e Sociedade do Conhecimento: Desafios e Reflexões”.  

IT Portal - O seu trabalho no GESITI resultou no livro Por que GESITI? (Segurança, Inovação e Sociedade). Como foi este trabalho e quais seus novos projetos na área?

Antonio José Balloni - Foi um desafio de front line associado a um ambiente de tomada de decisões não estruturadas. Como se trata de projeto ganha-ganha, podemos dizer que vencemos. O próximo desafio está em andamento e, cogitamos o evento GESITI envolvendo importantes parceiros e, possivelmente, com lançamento de novos livros. Vamos ver se confirmamos, por exemplo, um insight que tem me perseguido ou seja, um novo livro sobre os temas “Inovação & Defesa Nacional”  ou “TI, Inovação, Empreendedorismo e Sociedade” – desde já procuramos por patrocinadores.

IT Portal - Sobre livros: Quais os seus preferidos?  

Antonio José Balloni - Vários... Mas minha principal referência trata do livro do Prof. Ken Laudon, especialista em management information system (MIS).

IT Portal - Qual livro está na sua cabeceira? Poderia comentar porque escolheu esta obra?
Antonio José Balloni - O "ABC's of Quantum Mechanics" por V. Rydnik (traduzido do Russo por George Yankovsy). Como físico sempre gostei de ler sobre mecânica quântica e esse livro é uma obra resumida no assunto.

IT Portal - Entre as revistas e jornais de pesquisa de TI, quais são os preferidos?

Antonio José Balloni  - Não tenho um preferido. Em geral, faço minha referência com base em livros textos ou artigos científicos. Leio também algumas revistas do Brasil, interessantes.

IT Portal - Nos últimos anos a mídia tem relatado uma carência de investimentos na área de pesquisas e formação profissional. Qual a sua Online Blackjack avaliação?

Antonio José Balloni - O que posso dizer, pelo que tenho percebido, é que o Brasil tem tido uma interessante e consistente política de investimento em C&T. Entendo que continuando no ritmo atual, crescente, poderemos em uma década ter mais e maiores destaques na ciência brasileira, seja em pesquisa de ponta (nos seus diversos campos da ciência), como em inovações e/ou aplicações.

IT Portal - Quanto aos profissionais de TI comenta-se que há falta de pessoas capacitadas para ocupar as vagas disponíveis. Concorda com isso? Muitos profissionais entrevistados alegam que profissional qualificado não falta e que o problema está na falta de interesse ou capacidade orçamentária e em investir em capacitação de suas equipes e pagar salários compatíveis com o nível de exigência. Qual a sua avaliação?

Antonio José Balloni - O que acontece é que a área de TI teve um enorme desenvolvimento e profissionais top line são extremamente disputados, gerando no mercado um circulo vicioso. Isso poderá ser corrigido - e creio que isto já está acontecendo - ao se formar profissionais competentes, maduros e flexíveis, prontos para atuarem com seu conhecimento em prol de desenvolvimento de interesses das indústrias e ou mesmo em P&D&I.

IT Portal - Nos últimos anos temos vistos que jovens empreendedores têm obtido resultados enormes nos negócios (ex . Yahoo, Google, Facebook, skype, twitter etc). Você acredita que o Brasil poderia ter algum personagem destes se investisse mais em Educação e ampliasse o acesso às novas mídias para todas as populações brasileiras?

Antonio José Balloni  - A partir da Educação como um “objetivo estratégico” que deve ser perseguido continuamente por qualquer país. Sou um ‘otimista realista’ e entendo que o povo brasileiro, quando bem educado, produz os melhores profissionais, cientistas empreendedores do mundo: tudo que ele precisa é de oportunidade; há de se valorizar primeiramente a "prata da casa". Temos universidades conceituadas no Brasil que ensinam aos jovens a pensar, refletir e criar que nos preparam de forma focada e, também abrangente. Enfim, essas universidades propiciam toda a matriz que um jovem precisa para que, amanhã, possa atuar com destaque em qualquer área que decidir prosseguir. Entendo que nos últimos anos tem ocorrido um aumento constante ou, pelo menos, mantido os patamares de investimento na educação. Isso pode ser percebido quando se compara os índices de produção científica do Brasil com o mundo. Estamos avançando e, estou certo de que avançaremos como nunca nessa próxima década.

IT Portal - Sobre hobbies. Gostamos de mostrar as atividades fora do ambiente de trabalho. Temos vários profissionais entrevistados que praticam esportes. Sabemos que você foi campeão brasileiro de basquete em 94. Ainda hoje você joga basquete? Em quais oportunidades? Sobra tempo?

Antonio José Balloni - É verdade. Jogo de vez em quando. Organizei vários campeonatos em minha cidade natal e também no meu ambiente esportivo social de hoje. Isso tem sido uma constante. Uma contusão aqui e lá sempre atrapalha, mas procuro me manter na ativa de acordo com meu limites.

IT Portal - Sobre a apicultura. Como surgiu o gosto por esta atividade? Como ela é hoje?

Antonio José Balloni - Meu pai foi apicultor nos anos 60. Aprendi com ele e, até o final do colegial, eu trabalhava com abelhas. Na década de 90 comecei a brincar com colméias e desenvolvi uma inovação no tema (que pode ser lida clicando aqui ). Meus filhos, todos, sabem sobre abelhas e, como eu, também se afastaram dessa linda, mas extremamente pesada atividade. Há dois anos parei com a apicultura. Minha primeira paixão foi o basquetebol e este hobby tenho procurado manter.

IT Portal - Quando a gente vê uma colméia a gente vê uma sociedade viva organizada e trabalhadora. Qual paralelo poderia fazer com as sociedades dos humanos?

Antonio José Balloni - Se pudéssemos traçar um paralelo com o sistema de gestão das abelhas, seria magnífico. A "única" função da rainha, além de manter a população da colônia controlada, é a de integrar todas as milhares de abelhas. Todas têm funções definidas que vão progredindo com o tempo, conforme as fases. Existe uma perfeita e incrível harmonia em uma colméia, digno de inveja, para nós pobres humanos: em uma colméia o conceito de governança corporativa se aplica integralmente.

..

Login