Mercado de chatbots e voice bots movimenta aquisições e investimentos nos últimos 12 meses

 

O mercado brasileiro de chatbots e voice bots está super aquecido e nos últimos 12 meses vem promovendo fusões, aquisições, rodadas de investimento e IPOs em andamento, com a expectativa de gerar muitos negócios e novos empregos. Este crescimento impactou no principal evento do setor, o Super Bots Experience, que este ano terá quatro dias e acontecerá em formato online nos dias 24, 25, 26 e 27 de agosto.

Está confirmada a participação como painelistas de vários executivos do alto escalão de quatro empresas do setor para debater essas movimentações no painel de abertura do evento. Além de analisar este mercado, a grade de programação conta com painéis sobre inovações do setor, além das propostas de regulamentação da Inteligência Artificial no Brasil, a adequação dos bots à LGPD, dentre outros temas.

As movimentações do mercado

Entre as aquisições e investimentos no mercado chatbots e voice bots são destaque a compra da brasileira Wavy pela sueca Sinch; a Take Blip recebeu aporte de US﹩ 100 milhões do fundo norte-americano Warburg Pincus; a Mutant comprou a argentina Interaxa; e a indiana Gupshup levantou US﹩ 240 milhões em recente rodada de investimento e analisa ativos na América Latina.

A necessidade de adequação dos bots à LGPD

Uma novidade este ano no mercado brasileiro de robôs de conversação é que eles precisam se adequar à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), caso contrário, as empresas podem ser multadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) a partir de agosto de 2021.

Segundo a edição deste ano do Mapa do Ecossistema Brasileiro de Bots, que terá a sua edição 2021 divulgada no Super Bots Experience, 53% dos desenvolvedores de robôs de conversação brasileiros afirmam que 100% dos seus bots estão adequados à nova lei, enquanto que outros 35% declaram que a maioria já está adequada à legislação. Somente 3% dos entrevistados informa que cerca de 50% dos bots está aderente à lei; outros 3% dizem que poucos estão; e 6% não souberam responder.

Regulamentação do uso da Inteligência Artificial

A convivência entre humanos e máquinas sempre despertou muito interesse e preocupação ao longo dos anos. No caso do de inteligência artificial nos chatbots e voice bots, em vários países, inclusive o Brasil, já ocorrem debates nos parlamentos sobre a necessidade de se criar leis para regular o uso desta tecnologia neste mercado. No Brasil não é diferente: existem projetos de lei com esse objetivo tramitando no Congresso. Mas quais deveriam ser os princípios de uma lei sobre IA? O que deveria ser protegido? E o que deveria ser fomentado? E restringido? É justificado o temor de que uma lei de IA engessaria a inovação? O assunto será debatido em painel no Super Bots Experience deste ano, que acontecerá em formato digital nos dias 16, 17 e 18 de setembro.

 

O Super Bots Experience terá também painéis sobre a evolução dos voice bots; chat commerce; novos canais para bots (Instagram, Google Business Messages e RCS); regulamentação de inteligência artificial; e o WhatsApp como berço de startups.

 

A programação completa e mais informações estão disponíveis em https://www.botsexperience.com.br